O nome é previsto na legislação brasileira como um dos atributos mais especiais da personalidade de uma pessoa. Ele é formado pelo prenome — que pode ser escolhido de maneira livre — e o apelido de família — que indica a filiação e a família da qual aquele indivíduo descende.

Além disso, há outra possibilidade de mudança de sobrenome muito comum na sociedade. Trata-se da previsão legal que permite a alteração do apelido de família e a inserção do sobrenome do cônjuge em virtude do casamento.

Publicidade

Neste artigo, vamos apresentar as principais questões envolvendo a mudança de sobrenome após o casamento e os impactos que ela causa. Acompanhe a leitura.

O que diz a lei sobre a mudança de sobrenome?

Antigamente, a mulher devia adicionar o nome de família do marido ao seu próprio sobrenome. Por sua vez, a edição da Lei do Divórcio inovou, ao estabelecer que essa inclusão fosse facultativa, ou seja, somente se ambos os nubentes assim desejassem.

O advento do Código Civil trouxe um novo regramento ao autorizar que qualquer um dos cônjuges incluísse o sobrenome do outro ao seu nome de família. Isso significa que o homem também pode acrescentar o sobrenome da esposa ao seu próprio nome.

Contudo, a lei não prevê a hipótese de retirada do sobrenome de solteiro. Nesse sentido, o entendimento predominante é o de que essa decisão fica a cargo de cada casal, ou seja, eles que decidem.

Como ocorre esse procedimento?

A alteração do sobrenome deve ser conversada durante a fase de habilitação para o casamento. Eles devem comunicar a sua decisão ao Cartório de Registro Civil responsável pelo procedimento do matrimônio. A alteração também é possível após o casamento, contudo, é preciso autorização judicial para tanto. Logo, deve ser ajuizada uma ação requerendo a mudança — ação de retificação de assento civil.

Como acontece o procedimento em cada estado?

Cada estado adota um procedimento próprio envolvendo a mudança de sobrenome, bem como cobra taxas diversas. Nesse sentido, deve-se entrar em contato com o cartório para conhecer melhor os detalhes e trâmites burocráticos.

Confira a disposição do provimento 25 da Corregedoria Geral de São Paulo: “qualquer um dos cônjuges poderá acrescer ao seu o sobrenome do outro, vedada a supressão total do nome de solteiro”.

Isso significa que o noivo que tiver mais de um sobrenome pode incluir o sobrenome do cônjuge e retirar seus nomes de família. Porém, com a condição de que permaneça um dos nomes de solteiro. Já se ele tiver apenas um nome de família, não pode retirá-lo ao se casar, restando a opção de incluir o sobrenome do cônjuge.

Quais são os documentos que devem ser alterados?

Confira a lista dos documentos que devem ser atualizados após a mudança de sobrenome:

  • RG;
  • CPF;
  • CNH;
  • Passaporte;
  • Título eleitoral;
  • Vistos com validade.

A mudança de sobrenome é um ato facultativo e que depende apenas da vontade dos noivos, uma vez que a lei deixou de prever a obrigatoriedade desse procedimento. Cientes disso, basta comunicar a decisão ao cartório responsável pelo processo de habilitação do casamento.

Este artigo foi útil? Então, siga a gente nas redes sociais — Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn — e acompanhe nossas publicações!

Mudança de sobrenome após o casamento: o que você precisa saber?
Avalie!

Banner 3 - Cart. 24hPowered by Rock Convert
Luciano Batista de Lima

Acadêmico de Direito.
Experiência:  13 anos de atuação em Cartório de Registro Civil em Santa Catarina, sendo que destes, 8 anos foram como Oficial Substituto.

Pin It on Pinterest